Em setembro de 2015, a analista de compliance Patricia de Almeida pesava 106 kg distribuídos em 1,63 metros de altura. Ela sofria de obesidade grau 2, pressão alta, utilizava medicamentos para dormir e acreditava que a cirurgia bariátrica era a solução da sua vida.

Ela já tinha tentado de tudo para emagrecer: dietas, academia, remédios, mas não conseguia atingir seu objetivo. Dessa maneira, aos 37 anos, ela decidiu tentar mais uma vez e aderiu ao Gympass Corporate, benefício oferecido pela empresa em quem trabalha, e sua vida mudou.

Confira a entrevista!

Gympass. Queria que você contasse um pouco sobre como a obesidade atrapalhava sua vida…

Patrícia de Almeida. Atrapalhava em tudo, eu tinha colesterol alto, sentia muitas dores no joelho por conta do peso, tinha problemas para dormir. Eu não conseguia subir um lance de escada sem ficar ofegante. Eu tinha baixa autoestima. Não queria nem me olhar no espelho, sair, ir à festas. Estava com depressão e tomava cinco remédios por dia, incluindo um para dormir.

Quando você se deu conta de que precisava fazer algo para reverter essa situação? Eu não tinha noção do tamanho que estava até ver uma foto. Uma amiga me mandou uma foto nossa pelo WhatsApp, ela não postou no Facebook porque sabia que eu não ia gostar. Quando eu vi a foto, pensei “que mico, preciso dar um jeito”.

Eu sentia que as roupas não estavam mais servindo, estava em um casamento que me fazia mal, não contribuía em nada e minha fuga era comer. Se eu estava triste, comia para aliviar meus problemas. Se estava feliz ou ansiosa, eu também comia. A comida virou minha amiga, minha válvula de escape.

O que você fez para tentar emagrecer? Eu procurei médicos, tomei remédios, mas, logo depois, voltava a engordar novamente. Os remédios me faziam mal, eu sentia taquicardia. Fiz todas as dietas que você pode imaginar e também me matriculei na academia. Paguei um mês inteiro e fui uma ou duas vezes. Tinha vergonha de ir porque estava gordinha. É terrível. É sempre a mesma coisa, eu falava “não quero fazer só uma aula, quero fazer mais coisas”, mas eu não conseguia por conta do valor. Fui ao médico e ele sugeriu que fizesse a cirurgia bariátrica, já que não conseguia emagrecer, mas eu tinha receio, pois sabia dos efeitos colaterais, conhecia pessoas que fizeram e perderam cabelo e emagreceram muito rápido. Mas, mesmo assim, eu queria arriscar porque tinha medo de não conseguir ver minha filha crescer.

cirurgia bariátrica

❝Eu achava que a bariátrica era a solução da minha vida. Eu não queria emagrecer, queria ser emagrecida, mas não é assim. Tudo na vida dá trabalho.❞

Quando você desistiu de fazer a cirurgia bariátrica? Eu desisti da bariátrica em setembro de 2015, quando apareceu o Gympass e resolvi me dar mais uma chance. Achei que aquela era minha oportunidade de recomeço. Vi na intranet da empresa um comunicado sobre o benefício, teve uma palestra, foi muito legal. Um grupo de amigos quis se inscrever e eu decidi aderir também. Você não quer ir, mas o outro puxa e você se anima.

Como foi começar a utilizar o benefício? Você fez muitas aulas até encontrar a sua preferida? Foi à várias academias? Comecei fazendo aula de dança, pois sempre gostei de dançar. Depois, fiz musculação, localizada, muay thai e, então, conheci o crossfit e me apaixonei. Quando começava a aula, eu pensava “Meu Deus, o que eu estou fazendo aqui?”, mas, quando termina, você sai de lá de alma lavada. O bom do Gympass é que você não fica presa a uma única academia, pode experimentar várias aulas.

Eu falo que o plano de saúde trata a doença e o Gympass traz a saúde. Eu sou muito grata a minha empresa por ter me proporcionado esse benefício.❞

De lá para cá, você perdeu quantos quilos? Eu perdi 34 kg em um ano e pouco, só com atividade física e reeducação alimentar. Estou com 72 kg hoje, mas ainda não acabou. Preciso perder mais seis ou sete kg e também não vou parar por aí porque vou precisar mantê-los.

cirurgia bariátrica

Essa transformação aconteceu em quanto tempo? Em um ano e pouco.

Quem foram os seus principais motivadores nessa jornada? A Jéssica, o Glauber e a Irani, meus companheiros aqui no trabalho. Essa última é psicóloga e me incentivou bastante a malhar.

E, hoje, você pratica atividade física de forma regular? O que você faz? Pratico cinco vezes por semana. Eu acho que nunca mais paro de fazer atividade física na vida. Faço crossfit duas vezes por semana e muay thai ou musculação nos outros três dias. No domingo, antes de ir à praia, eu vou com mais duas amigas fazer musculação. Meu namorado vai começar a utilizar o Gympass também para me acompanhar porque ele disse que está ficando gordinho (risos).

❝Não existe nada melhor do que você entrar em uma loja, escolher uma roupa e caber nela. Eu saltei do manequin 48/ 50 para o 40.❞

Quais são as principais diferenças entre a Patricia de hoje e a de antes? Primeiramente, hoje em dia, ela se ama. Eu sempre fui uma pessoa alegre, mas hoje eu tenho ânsia de viver e gosto pela vida. Hoje, quando estou estressada, não procuro mais a comida para me desestressar. Eu procuro a academia. Tenho mais controle, seleciono melhor os alimentos que como e também sou muito mais confiante.

E em relação a vida profissional, você sentiu alguma diferença? Sim, principalmente com a questão da autoconfiança. Nem tem comparação. Antes eu vivia cansada. Agora, estou sempre para frente, querendo aprender. É uma outra Patricia.

As pessoas a sua volta também perceberam essas diferenças? Perceberam. Minha própria chefe fala que tenho mais disposição. Minha filha fala “mãe, tá fogo” porque as pessoas perguntam se nós somos irmãs (risos).

Sua filha tem quantos anos? Ela tem 16 anos.

Qual é a melhor parte de ter conseguido emagrecer? Ah, não existe nada melhor do que você entrar em uma loja, escolher uma roupa e caber nela. Eu saltei do manequin 48/ 50 para o 40. Mas a melhor parte mesmo é poder inspirar outras pessoas. Uma pessoa de Matuto, no Moçambique – a Carnilda – entrou em contato comigo porque assistiu ao vídeo com o meu depoimento. Aquele foi um dia tão feliz para mim. Ela disse que assiste ao vídeo todos os dias. Nós nos falamos sempre e ela pede dicas. Se eu conseguir ajudar uma pessoa, já estou muito feliz. No trabalho, as pessoas também vêm me fazer perguntas, pedir dicas, perguntam o que estou comendo, onde vou malhar. Eu até criei uma página no facebook para compartilhar minha experiência.

cirurgia bariatrica

Qual é a importância da atividade física na sua vida? É total. Não consigo viver sem ela. Atividade física me faz bem, é uma terapia, um bom vício. Quando estou estressada e quero relaxar, nada como uma aula de crossfit. Se eu fico sem fazer atividade física, eu sinto que está faltando algo. É uma forma de prazer. Não vejo mais academia como uma tortura. Vou até lá com prazer. Eu falo que o plano de saúde trata a doença e o Gympass traz a saúde. Eu sou muito grata a minha empresa por ter me proporcionado esse benefício.

❝Eu acho que nunca mais paro de fazer atividade física na vida.❞

cirurgia bariatrica

Para terminar: quais dicas você daria para as pessoas que querem emagrecer e não conseguem? Eu diria para elas “não desista de você. Persista, você merece. Se eu consegui, você também consegue”. No momento que eu botei isso na minha cabeça, tudo mudou. Às vezes, você fala que vai começar uma dieta na segunda e fura na quarta. Se isso acontecer, não deixe para retomar a dieta só na próxima segunda. Furou na quarta de manhã? Volta na quarta à noite. No momento que você protela, você está protelando a sua vida, a sua saúde. Quantas vezes você acha que eu já furei a dieta?

Não sei. Quantas? Muitas (risos), mas eu não esperava a segunda-feira para recomeçar. Se você pode fazer hoje, por que deixar para segunda?

Assista ao vídeo do Gympass com trechos da entrevista:


tendencias_globais_de_saude_e_bem_estar

reduzir_custos_comsaude_sinistralidade_absenteismo

(Visited 357 times, 1 visits today)

Comments

comments