O absenteísmo é um grande problema para as empresas em todo o mundo. No Reino Unido, por exemplo, alguns relatórios colocam os números em até £ 29 milhões perdidos por ano devido à ocorrência de doenças na equipe, com o número médio chegando a 6,3 dias perdidos anualmente por empregado.

Além dos números, há outro custo do absenteísmo que é muitas vezes esquecido. Os efeitos da licença por doença não se limitam ao indivíduo que está ausente, mas também afetam toda a sua força de trabalho e podem perturbar o ambiente de trabalho como um todo.

Do custo de substituição de pessoal à produtividade reduzida, as empresas vão perder substancialmente se o problema for deixado de lado.

Sua equipe está entre seus recursos mais valiosos, mas eles são apenas humanos e de vez em quando terão de ter tempo fora do trabalho. No entanto, uma vez que dias de falta por motivo de doença podem impactar seus lucros de tal forma, vale a pena entender suas causas para que você possa começar a resolver o problema.

Principais causas do absenteísmo

O estresse é uma das principais causas das licenças de trabalho por doença, identificada em todos os setores e tamanhos de empresas. De acordo com o Instituto Oficial de Pessoal e Desenvolvimento (CIPD), é a segunda maior causa de ausência de curto prazo de pessoal (48%), atrás de outras doenças menos graves como resfriados e gripe (95%).

As cinco principais causas das ausências de curto prazo são:

1. Doenças menos graves

2. Estresse

3. Questões músculoesqueléticas

4. Doenças mentais

5. Responsabilidades familiares / de cuidador

O estresse também é a principal causa das ausências de longo prazo, juntamente com condições médicas agudas, como acidente vascular cerebral, ataque cardíaco ou câncer.

O que está contribuindo para o absenteísmo no local de trabalho?

O ambiente de trabalho pode ter um impacto enorme sobre o bem-estar físico e psicológico dos funcionários e, portanto, sobre níveis altos de absenteísmo – o que significa que existem maneiras através das quais você pode gerenciar e controlar o problema ativamente.

Infraestrutura inadequada

É fundamental que os funcionários recebam as ferramentas para fazer seu trabalho adequadamente. A falta de infraestrutura e de equipamentos prejudica a produtividade, afetando psicologicamente os trabalhadores, à medida que eles ficam frustrados e desanimados. Se os problemas continuarem, você pode estar certo de que o absenteísmo de longo prazo fará parte da rotina da sua equipe de colaboradores. Se por um lado as empresas esperam que seus funcionários cumpram com suas obrigações, é também imperativo que as organizações cumpram com as suas e proporcionem aos trabalhadores as instalações adequadas para dar suporte ao seu trabalho.

Modelo de liderança deficiente ou autoritário

O modelo de liderança de uma empresa tem influência sobre o desempenho da força de trabalho. O conhecido conceito de “conduzir pelo exemplo” ainda é verdadeiro e os empregadores devem ter como objetivo este estilo da liderança, cultivando um relacionamento com a equipe de funcionários para ajudar a mantê-los engajados e motivados.

Quando os líderes perdem o respeito de seu pessoal ao adotar regimes de punição e incentivo, por exemplo, o resultado pode ser ausências por parte da equipe, com colaboradores que tiram licenças médicas para evitar o ambiente de trabalho. A chave para a liderança é encontrar o equilíbrio entre autoritarismo e orientação construtiva.

Desmotivação

Não é de se admirar que o engajamento dos colaboradores seja uma prioridade crescente para as empresas. Um relatório sugere que o custo de equipes desengajadas chega a 15 bilhões de libras só no Reino Unido.

Quando os colaboradores estão desmotivados, o resultado pode ser um desempenho inferior ao esperado, bem como impactos na segurança dos colaboradores. Trabalhadores desengajados também afetam o desempenho dos outros ao redor, impactando o ambiente de trabalho como um todo.

Se houver um problema implícito na cultura do local de trabalho ou se a equipe estiver desmotivada devido a metas irreais, você obterá grandes benefícios mantendo o quadro de colaboradores contente em seu trabalho. Você também terá mais probabilidade de manter sua equipe, evitando a rotatividade.

Medindo o absenteísmo

É importante ser capaz de medir o absenteísmo, a fim de gerenciá-lo de forma eficaz. Isso começa com a implementação de um sistema rígido para medir as ausências e registrar os tempos de entrada e saída do pessoal. Isso não só ajuda a ficar de olho no que está acontecendo, mas também a organizar a cobertura ou a transferência de atividades no caso de ausências de longo prazo por doença – aliviando a pressão sobre os outros colaboradores. Para encontrar a taxa de absenteísmo de sua empresa, calcule quantos dias por mês cada funcionário da equipe trabalha e, então, multiplique pelo número de empregados que você tem.

Certifique-se de fazer ajustes no caso de funcionários que trabalham meio período. Você obterá as horas líquidas que sua força de trabalho deve cumprir. A taxa de absenteísmo é calculada pelas horas líquidas menos o número de ausências (incluindo saídas antes do horário). Para encontrar a porcentagem, divida o número de horas perdidas pelo número de horas que sua equipe deve trabalhar e multiplique o resultado por 100.

Vejamos um exemplo: digamos que você tem 20 funcionários que trabalham cada um seis horas por dia, 20 dias por mês. Isso é calculado da seguinte forma: 20 (funcionários) x 6 (horas de trabalho por dia) x 20 (dias no mês) = 2400 horas / mês. 

Se 10 funcionários perdem um dia no mês, então você calcularia os dias perdidos como horas. Então, 10 x 6 = 60 horas de trabalho perdido. A percentagem de tempo perdido é: 60 / 2400 x 100 = 2,5%.

Como gerenciar as ausências por doença dos funcionários

Uma das principais maneiras de gerenciar casos de doença na equipe é através da comunicação. Você pode fazer isso por meio de pesquisas regulares com os colaboradores aliadas às avaliações individuais de desempenho mais tradicionais. Encorajar a equipe a contribuir com suas considerações e ideias ajuda a firmar sua lealdade à uma organização, bem como a fortalecer a confiança.

Uma melhor comunicação também ajuda a monitorar o bem-estar dos colaboradores e, portanto, atenua as ausências por motivos de doença. Você também pode tentar introduzir iniciativas como trabalho flexível e medidas como treinamento extra e suporte para gerentes de linha, bem como avaliações de capacidade.

Os seguintes itens contribuem para uma força de trabalho feliz e saudável:

● Ambiente de trabalho transparente

● Reconhecimento

● Investimento na qualidade de vida dos colaboradores

● Promoção da atividade física regular

● Saúde ocupacional

Embora a maioria das empresas provavelmente nunca consiga um resultado “nulo” quando se trata do registro de ausências por doença, você pode reduzir o absenteísmo colocando em prática medidas que não só ajudam a gerenciar as taxas de licenças por doença, mas que também apoiam o bem-estar dos colaboradores – tanto dentro quanto fora do trabalho. Hoje não é suficiente apenas pagar um salário – os colaboradores querem ter boas condições de trabalho, receber reconhecimento e se sentirem valorizados. Gerir a sua força de trabalho a partir de uma perspectiva humana, em vez de olhar para a equipe em termos de números de folha de pagamento e planilhas, é fundamental para reduzir as ausências e aumentar a produtividade de toda a força de trabalho.

Saiba mais

Quer saber como a Unilever reduziu o absenteísmo? Confira o webinar exclusivo com Carolina Mazziero:

webinar_unilever_reducao_absenteismo

(Visited 538 times, 1 visits today)

Comments

comments

This post is also available in: América Latina (MX, CL, AR) España France Italia United Kingdom United States