Mesmo quando os colaboradores têm liberdade para trabalhar em casa, isso não significa necessariamente que irão desfrutar de mais tempo de lazer. O guia a seguir oferece dicas sobre como ajudar sua equipe a integrar efetivamente trabalho remoto e vida pessoal.

7 dicas para o equilíbrio entre vida pessoal e profissional trabalhando em casa

1. Defina parâmetros para o horário de trabalho.

De acordo com Melissa Milkie, professora de sociologia da Universidade de Toronto, as pessoas que trabalham pelo menos 50 horas por semana tendem a ter mais conflitos entre trabalho e vida pessoal se definirem seus próprios horários ao invés de seguirem uma jornada de trabalho definida.

Milkie chama esse fenômeno de “controle de horário” e acredita que isso acontece mais quando os colaboradores não criam uma rotina ou não separam claramente o trabalho e o tempo pessoal. Milkie também descobriu que os colaboradores com ensino superior correm o maior risco de trabalhar após o expediente, o que significa que os colaboradores administrativos podem ser particularmente vulneráveis ​​a longas horas de trabalho e exaustão.

Para evitar esses problemas, revise a política de aderência ao horário da sua empresa. A flexibilidade limitada – como a capacidade de fazer um intervalo prolongado para o almoço – aumenta a produtividade, mas o excesso de flexibilidade confunde a distinção entre trabalho e casa. Estabeleça expectativas claras de quantas horas um colaborador deverá trabalhar e tente encorajar as pessoas a se desconectarem no horário. Você pode até considerar o uso de software para lembrar os colaboradores de fazer pausas ao longo do dia em intervalos automatizados. O treinamento em gestão pode ensinar os líderes empresariais a apoiar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional e incorporar esses princípios em seu próprio trabalho.

2. Crie comunicações para alinhar expectativas.

Cada departamento pode ter diretrizes de comunicação explícitas que explicam quando e-mails, chamadas e mensagens instantâneas precisam de uma resposta e qual canal deve ser usado, dependendo da situação. Descrevendo essas expectativas por escrito, você pode ajudar os colaboradores a fazer pausas em seus e-mails de trabalho e dispositivos móveis para que possam aproveitar o tempo livre ou priorizar outras tarefas. Além de ajudar os colaboradores a se sentirem menos estressados, essas etapas também podem evitar a verificação constante de e-mail e distrações não urgentes.

3. Apague o mito de “ocupado”.

Só porque uma pessoa está ocupada não significa que ela seja produtiva. Na Harvard Business Review, Brigid Schulte, autora do best-seller “Overwhelmed: Work, Love and Play When No One Has the Time” (“Sobrecarregado: Trabalhe, ame e brinque quando ninguém tem tempo”, sem edição no Brasil), descreve o que chama de “o paradoxo da ocupação” ou “tunelamento”:

“Quando estamos ocupados e temos aquela sensação de alta carga mental e pânico de que o tempo é escasso – o que um participante [do estudo] chamou de “momento contínuo de agitação” durante o dia de trabalho – nossa atenção e capacidade de foco se estreitam … como se estivesse em um túnel, só podemos nos concentrar nas tarefas mais imediatas, e muitas vezes de baixo valor, bem à nossa frente. ”

Para evitar esse problema, Schulte diz que as métricas de desempenho são fundamentais. Embora seja relativamente fácil medir a produtividade no chão de fábrica, é um pouco mais desafiador atribuir métricas para trabalhadores do conhecimento. Por exemplo, quando se trata de engenharia de software, quais benchmarks você define para sua equipe de desenvolvimento? Se o trabalho exige criatividade, solução de problemas, construção de relacionamento ou operações não padronizadas, quanto tempo a pessoa gasta completando a tarefa geralmente serve como substituto para métricas de produtividade concretas. Essa estrutura de recompensa pode ser prejudicial porque faz com que os colaboradores mais ocupados pareçam ter o melhor desempenho; o processo leva todos a trabalhar mais horas, embora a qualidade do trabalho e a satisfação dos colaboradores sejam prejudicadas.

4. Deixe que os colaboradores escolham em quais projetos desejam trabalhar.

Um senso de propósito pode ser tão recompensador quanto a compensação financeira de um colaborador. Se um colaborador tem autonomia sobre sua programação, ou tem oportunidades de escolher o tipo de trabalho que faz, é mais provável que seja feliz e produtivo do que um colaborador com uma carga de trabalho rígida e inflexível. Com o tempo, isso reduz o risco de esgotamento e ajuda a garantir que o colaborador permaneça comprometido com a organização e sua função.

5. Crie buffers de agendamento.

Um estudo publicado no Jornal de Personalidade e Psicologia Social, dos Estados Unidos, pediu aos alunos que estimassem quanto tempo levaria para concluir sua tese. Os alunos forneceram uma estimativa “otimista” e “pessimista”, que deveria levar em consideração seus melhores e piores cenários. Apenas cerca de 48,7% dos participantes concluíram sua tese pela estimativa do “pior cenário”; a diferença média entre a estimativa do “melhor cenário” e a data de conclusão foi de cerca de 21,6 dias.

Muitos outros estudos provam que a maioria das pessoas é excessivamente otimista quando se trata de adivinhar quanto tempo um projeto levará, um fenômeno que os sociólogos chamam de “falácia do planejamento”. Para evitar agendamento excessivo e aliviar o estresse, crie uma margem de manobra generosa na programação de sua organização.

6. Dê aos colaboradores tempo para uma concentração profunda.

Os colaboradores precisam dos recursos certos para ter sucesso. Observe os processos da sua empresa. Eles exigem que o funcionário seja multitarefa? Se sim, tenha em mente que essa abordagem pode impedir a concentração, adicionar estresse e contribuir para o esgotamento. Vários estudos também mostram que a multitarefa diminui a produtividade em até 40% e força os colaboradores a trabalhar mais horas.

7. Dê aos colaboradores as ferramentas para ter sucesso.

O equilíbrio entre vida pessoal e profissional começa com a cultura da empresa e não apenas com o indivíduo. Se você deseja ajudar os colaboradores a gerenciar suas responsabilidades e trabalhar de maneira ideal, limites claros ajudam as pessoas a dividir bem o tempo entre diferentes tarefas, ajudando-as a estabelecer uma rotina e evitar sobreposições de tempo não intencionais.

Também é importante dar aos colaboradores oportunidades para relaxar e comunicar explicitamente as formas aceitáveis ​​de fazer isso durante o dia de trabalho. Por exemplo, você pode oferecer horários de descanso flexíveis para que as pessoas possam fazer uma caminhada, alongamento ou exercícios durante o turno. De acordo com um estudo publicado na Human Resource Management and Harvard Business Review, as pessoas que se exercitam regularmente relatam uma melhor integração trabalho-vida, mesmo que uma rotina de exercícios acrescente outra demanda à sua programação. Russell Clayton, professor do Muma College of Business da Universidade do Sul da Flórida e autor do estudo, explica que os exercícios podem ajudar os colaboradores de duas maneiras:

  • Gerenciamento de estresse: os exercícios reduzem os níveis de adrenalina e cortisol e aumentam as endorfinas (hormônios do “bem-estar”), que podem melhorar naturalmente o humor e a perspectiva de um indivíduo.
  • Autoeficácia: pessoas que se exercitam geralmente têm menos probabilidade de procrastinar e mais probabilidade de enfrentar os desafios com otimismo e confiança.

Se você deseja encorajar os colaboradores a se exercitarem com mais frequência – e, portanto, ajudá-los a alcançar um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional – benefícios adicionais de bem-estar, como uma academia com tudo incluído, programa de meditação ou treinamento pessoal podem ajudar.

No final, a cultura da sua empresa determina, em última análise, como os colaboradores abordam o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, independentemente de trabalharem remotamente ou no escritório. Para saber como o Gympass pode ajudá-lo a construir um plano de benefícios personalizado que incentive a integração, a satisfação e a produtividade trabalho-vida, solicite um orçamento.