A resiliência ficou em destaque durante a pandemia de COVID-19 e por um bom motivo. A COVID-19 fez com que o mundo inteiro mudasse a forma como funciona e exigiu que cada um de nós se ajustasse a uma nova realidade em nossas vidas pessoais. Mas o que a palavra “resiliência” significa de verdade? O que ela tem de especial para ter ficado em tanta evidência? E como ela se aplica à sua força de trabalho e aos benefícios que você oferece a eles hoje

Em resumo, “resiliência” se refere a duas coisas: a capacidade que algo tem de recuperar seu tamanho e forma depois de sofrer forças de tensão ou compressão que possam deformá-lo e a capacidade de se recuperar ou se adaptar facilmente a adversidade ou mudanças. Não é exagero dizer que a pandemia trouxe à tona a necessidade de resiliência como parte do bem-estar dos colaboradores. O estresse do ano passado causou os seguintes efeitos:

  • Uma tensão enorme na força de trabalho do mundo todo (mais para alguns grupos de colaboradores, como mães que trabalham fora, do que para outros).
  • Adversidades ou mudanças inesperadas e importantes para você, seus colaboradores e sua empresa.

Você diria que sua empresa e seu pessoal estão no caminho certo para recuperar seu “tamanho e forma” depois de sofrerem o “estresse compressivo” da pandemia? Eles estão demonstrando que podem “se adaptar facilmente” às adversidades e às mudanças que tiveram de enfrentar? Isso seria a resiliência em resposta ao que foi o maior estresse que a força de trabalho do mundo sofreu em nossa vida.

Não é nenhuma novidade que o estresse pode ter um impacto extremamente negativo no trabalho. Em 1978, dois psicólogos ocupacionais quantificaram pela primeira vez os efeitos de um ambiente de trabalho estressante e cunharam o termo “esgotamento“. Várias pesquisas feitas desde pelo menos 2015 provaram que o estresse no local de trabalho afeta o desempenho pessoal e profissional e está relacionado a altos níveis de depressão, ansiedade e esgotamento. 

Por outro lado, o poder e o impacto positivo da resiliência estão bem documentados. Um artigo da Workplace Mental Health resume bem os resultados positivos da resiliência nos seguintes pontos:

  1. Maior satisfação no trabalho, felicidade no trabalho, compromisso organizacional e sentido de compromisso entre os colaboradores.
  2. Maior autoestima, maior senso de controle sobre os eventos da vida, senso de propósito na vida e relações interpessoais no trabalho.

Um aspecto empolgante da resiliência é que ela é uma habilidade. Como qualquer habilidade, a resiliência pode ser aprendida e desenvolvida. 

O que tudo isso significa para os empregadores agora? Acreditamos que os empregadores que desejam continuar contratando os melhores profissionais e impulsionar a retenção de colaboradores vão garantir que suas iniciativas de bem-estar ofereçam as ferramentas e os programas necessários para desenvolver a resiliência dos colaboradores, além de disponibilizá-los para toda a força de trabalho. Como fazer isso?

Para começar, assegure que sua plataforma de bem-estar ofereça mais do que ferramentas e informações sobre o gerenciamento de estresse, o que é, obviamente, essencial para desenvolver a resiliência e uma parte comum dos programas de bem-estar em geral. Para construir uma força de trabalho resiliente, é necessário também se esforçar para mitigar outros fatores que podem reduzir a capacidade dos colaboradores de se adaptar e mudar. Os exemplos incluem apoio para a atividade física e para a saúde mental e emocional.

Uma pesquisa da Ginger, a plataforma de saúde mental para colaboradores, descobriu, por exemplo, que 81% dos trabalhadores faltaram ao trabalho durante a pandemia por causa de sintomas que variavam de fadiga e ansiedade a doenças físicas. A revista on-line Positive Psychology relatou que os empregadores têm mais facilidade em construir uma força de trabalho mais resiliente oferecendo aos colaboradores uma plataforma de bem-estar que possua programas e ferramentas que:

  • Construa vínculos e relações sólidas
  • Fortaleça o apoio social
  • Desenvolva confiança
  • Desenvolva um senso de coragem, aquele espírito de luta que diferencia alguns colaboradores

A boa notícia é que os colaboradores estão tentando voltar ao bem-estar físico à medida que saímos da pandemia. Como mencionamos em nossa publicação recente “A volta ao local de trabalho: itens para reflexão e dicas para fazê-la da maneira certa e de acordo com uma pesquisa do Gympass com 1.000 funcionários norte-americanos maiores de 18 anos, o hábito de praticar exercícios físicos se tornou mais comum e permanecerá assim. Além disso, descobrimos que as pessoas estão dispostas e ansiosas para voltar à academia.

  • 89% disseram que manterão ou aumentarão o ritmo de exercícios depois de retornar ao escritório.
  • 64,6% estão ansiosos para voltar à academia.

O Gympass é a única plataforma completa de bem-estar corporativo que oferece apoio integral a todos os colaboradores, onde estiverem e quando quiserem. É a solução ideal para empresas que buscam construir uma força de trabalho mais resiliente.