O feedback é uma importante ferramenta para qualquer líder, independentemente do nível hierárquico ou do segmento de mercado da empresa. No entanto, muitos gestores ainda desconhecem o poder do feedback positivo como forma de gerar reconhecimento profissional no ambiente de trabalho, e acabam aplicando esta ferramenta apenas para fazerem críticas.

Ou seja, em vez de usá-la como um motor de engajamento de suas equipes, eles se utilizam desta técnica apenas quando algo errado acontece e precisam redirecionar o colaborador que apresentou resultados indesejados. No entanto, conforme apontado por uma pesquisa de neuroimagem conduzida por Richard Boyatzis e sua equipe, da Case Western Reserve University, o nosso cérebro responde mais positivamente – ou seja, se motiva mais – com os elogios do que com as críticas.

A real importância do feedback

Por ter seus efeitos cientificamente comprovados, o feedback positivo como ferramenta de reconhecimento profissional funciona como uma excelente forma de engajar os profissionais da empresa. Isso porque quando um gestor adota essa postura aberta e de suporte, identificando boas contribuições dos colaboradores no dia a dia, ele estabelece uma relação de confiança e positividade. E confiança, segundo Patrick Lencioni, autor de “Os 5 Desafios de um Time”, é um componente fundamental de times de alta performance.

Além disso, a prática do feedback positivo é capaz de fortalecer o sistema imunológico dos colaboradores, reduzindo a frequência cardíaca e a pressão arterial dos profissionais, conforme concluído por uma pesquisa de medicina ocupacional e ambiental citada pela Harvard Business Review. Ou seja, além da melhoria dos resultados estratégicos dos colaboradores, essa prática ainda proporciona a redução dos custos relacionados aos cuidados com a saúde dos profissionais, como licenças médicas.

O reconhecimento profissional vale mais do que dinheiro

Outro ponto muito importante é que as empresas têm descoberto que apostar em modelos de gestão inovadores e mais humanizados traz enormes benefícios, como melhorar o clima organizacional, ou seja, a atitude dos colaboradores em relação ao seu emprego (e à empresa). O melhor é que isso custa muito pouco, pois independe de qualquer relação do reconhecimento com bônus financeiros. Se você está duvidando, saiba que é justamente este ponto que foi comprovado por uma pesquisa britânica.

Ao analisar as relações de trabalho de milhares de profissionais de inúmeras empresas, os pesquisadores descobriram que essas pessoas recusariam um grande aumento de salário e até um interessante plano de benefícios se isso significasse que elas teriam que trabalhar em um ambiente sem reconhecimento profissional, ou com quem não gostassem.

Para os representantes dessa pesquisa, os resultados mostraram o quanto o reconhecimento profissional é importante para a felicidade no trabalho. E tal conclusão é coerente com a teoria da Pirâmide de Maslow, que hierarquiza as necessidades do ser humano das mais básicas às mais sofisticadas. O psicólogo americano Abraham Maslow, pai da pirâmide, definiu que as pessoas percorrem um caminho ascendente em busca da realização pessoal. E para alcançar o topo desta pirâmide o indivíduo precisa de reconhecimento. E esta é exatamente a função do feedback positivo como ferramenta de reconhecimento no trabalho.

O problema de não adotar o feedback

Diante de todas estas informações, é possível perceber que não adotar a cultura do feedback e reconhecimento pode significar deixar na mesa uma enorme oportunidade de soluções práticas nos resultados da empresa.

É por meio dos feedbacks que os profissionais ficam seguros da qualidade de suas ações. Da mesma forma, sem o devido redirecionamento, o colaborador pode cultivar posturas indevidas e desempenhar atividades de forma incorreta.

Em outras palavras, é incontestável que uma empresa em que os líderes não atuam como mentores — aplicando constantemente feedbacks corretivos e positivos durante todos os processos —, se assemelha a um navio sem comandante. A tripulação não tem foco e seus marinheiros desempenham suas atividades a esmo. Assim, não incorporar a cultura do feedback, crítico ou positivo, é correr o risco de deixar a sua empresa à deriva, cheia de profissionais desmotivados no trabalho, o que gera baixa produtividade e insatisfação, além de altos níveis de turnover.

A função do líder nesta prática

O líder é a figura que serve de referência a seus colaboradores. Esqueça o modelo antiquado de chefe: a liderança moderna deve se posicionar como um exemplo a ser seguido (o que é conhecido como “liderança pelo exemplo”). É um erro o gestor se posicionar de forma arrogante, impositiva, ou como se nunca errasse ou não precisasse aprender algo mais.

Por isso, um líder de alta performance é justamente aquele que incorpora o feedback, tanto crítico quanto de reconhecimento, na cultura organizacional, dando retornos positivos para seus liderados e estimulando a manifestação de sua equipe sobre a sua própria gestão. À vista disso, a função dos líderes de uma empresa é estimular a prática do feedback positivo e, consequentemente, melhorar os resultados das avaliações de performance.

O modo correto de dar feedback

Por ser uma atitude de demonstração de consideração e respeito pelo trabalho do outro profissional, o feedback como ferramenta de reconhecimento deve ser individual e bastante específico. No entanto, quando o feedback for positivo e tiver como objetivo reconhecer alguma atitude ou contribuição de um dos profissionais, ele pode ser feito em público. Isso multiplica os bons exemplos, estimula comportamentos parecidos no time e eleva a autoestima do elogiado.

Sendo positivo ou corretivo, para que ele seja de fato produtivo não basta que o colaborador apenas saiba que está recebendo um feedback. É preciso apresentá-lo de forma descritiva, objetiva, bem dirigido e no momento oportuno. Ou seja, o profissional precisa receber a informação de forma clara, tendo todos os pontos positivos ou negativos do parecer apontados. Além disso, dar um feedback positivo de maneira genérica, ou apenas algum tempo depois do fato ocorrido, demonstra descaso e não causa o mesmo efeito de uma avaliação detalhada e feita de forma pontual.

É válido lembrar, também, que o processo de feedback corretivo deve ser distanciado de uma sentença ou punição. O gestor deve se manter aberto às argumentações do profissional e estar preparado para redirecionar o seu liderado. Ou seja, não basta apenas falar que ele fez algo errado. É preciso orientá-lo sobre como corrigir o erro ou otimizar os acertos.

Em resumo, a importância do feedback positivo como ferramenta de reconhecimento profissional é enaltecer os acertos e as qualidades dos profissionais de sua equipe, criando um relacionamento líder-liderado pautado na confiança. E isso gera ganhos tanto para o colaborador, como a melhoria do bem-estar no trabalho, quanto para a empresa, com a redução do turnover, a melhora dos resultados e até a redução do absenteísmo.

Gostou deste artigo sobre reconhecimento profissional no trabalho? Então confira algumas dicas para ter sucesso no processo de avaliação de desempenho!

Este artigo foi escrito por Francisco Homem de Mello, fundador da Qulture.Rocks. A Qulture.Rocks é uma plataforma de gestão de performance com uma suíte de produtos para feedbacks, reconhecimento, gestão de metas e avaliações de desempenho.


ebook_valorizacao_do_funcionario

(Visited 809 times, 2 visits today)

Comments

comments

This post is also available in: América Latina (MX, CL, AR) Deutschland España France Italia Nederland United Kingdom United States