Sabemos que você se preocupa com a experiência dos seus colaboradores na sua organização e investe no crescimento deles, mas talvez você não esteja se esforçando da maneira mais ideal. Quando falamos sobre o envolvimento e o desenvolvimento dos colaboradores, geralmente nos concentramos em dois grupos: os de alto desempenho e os de baixo desempenho. Mas, muitas vezes, ignoramos os colaboradores de desempenho médio. Isso é um erro. 

Nós nos concentramos nos melhores porque eles geram mais dinheiro, mais inovação e maiores contribuições para os lucros da empresa. Se você os mantiver engajados e atuando em alto nível, você continuará colhendo os frutos dos talentos deles.

Os colaboradores de baixo desempenho recebem muita atenção porque causam a maior parte das dores de cabeça. Eles geralmente são os menos engajados e os mais propensos a cometer erros e causar prejuízos. Os programas de coaching e desenvolvimento voltados para esses colaboradores tentam reduzir o fardo que eles colocam sobre os empregadores.

Não se concentre apenas nos colaboradores de alto desempenho.

Dados recentes sugerem que os colaboradores de desempenho médio representam cerca de 60% da força de trabalho, enquanto os de alto e baixo desempenho compõem os outros 40%. Sim, reter e desenvolver profissionais de alto desempenho é de grande importância. Mas não faz sentido fazer isso às custas de profissionais confiáveis e consistentes que compõem a maior parte da sua força de trabalho. Em uma época de escassez histórica de talentos, investir nesses colaboradores pode vir a ser uma vantagem competitiva considerável.

Investir demais nos colaboradores de baixo desempenho geralmente é um erro.

Todos nós queremos transformá-los em casos de sucesso, mas você tem que aceitar a derrota em algum momento. Todos nós somos a favor de dar segundas chances – mas, quando os colaboradores têm um desempenho consistentemente baixo nas suas funções, isso geralmente significa que eles estão desinteressados demais ou não são adequados para atuarem bem nessa função. 

Uma pesquisa de Harvard sugere que contratar um colaborador de alto desempenho economiza US$ 5.300 em média para sua organização, mas demitir rapidamente ou evitar contratar um colaborador tóxico economiza em média US$ 12.500. Isso não significa que você precisa começar a caçar pessoas de baixo desempenho para mandar embora. A ideia é evitar tentar fazê-los mudar de rumo com medidas improdutivas, caras e sem prazos definidos.

O colaborador que tem um desempenho médio hoje pode ser o astro de amanhã. 

Você nunca sabe quem será seu próximo talento. Alguns podem parecer destinados à grandeza, mas nunca alcançarem o potencial deles. Outros trabalham em silêncio por anos e, de repente, parecem decolar do nada. Como tudo isso é imprevisível, investir no desenvolvimento de profissionais de desempenho médio é uma aposta inteligente, pois produz melhorias de desempenho que se espalham para a maioria da sua força de trabalho, o que aumenta suas chances de identificar mais talentos.

Ofereça uma experiência excepcional a todos os colaboradores. 

Os colaboradores de desempenho médio são a espinha dorsal da sua organização, e a experiência deles importa tanto ou mais do que a dos colaboradores de desempenho maior e menor. As organizações inteligentes saberão encontrar oportunidades para mostrar comprometimento com esse segmento de talentos que muitas vezes é negligenciado. 

Implemente programas de saúde e bem-estar que reduzam o estresse e aumentem o engajamento e a produtividade. Se você oferece um programa de bem-estar, certifique-se de ter a tecnologia (apps, ferramentas, etc.) para oferecê-lo a todos os colaboradores, sejam eles remotos ou presenciais. Aumente a moral e o desempenho oferecendo treinamento de atenção plena. Ofereça programas de coaching e desenvolvimento que antes só estavam disponíveis para os líderes e os colaboradores de alto potencial. 

Sua organização não pode mais se dar ao luxo de ignorar os colaboradores de desempenho médio. Se você ainda não começou o processo, o primeiro passo é repensar como a experiência dos colaboradores está estruturada. Invista nos médios. Você não vai se arrepender.