A quantidade de colaboradores que sofrem de obesidade nas empresas aumentou expressivamente nas últimas duas décadas. Muitas empresas estão arcando com os custos e consequências de ter em sua equipe funcionários obesos ou acima do peso.

De acordo com um estudo internacional realizado pelo McKinsey Global Institute, a obesidade custou ao Brasil, em 2014, cerca de 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O impacto na economia mundial é ainda maior: foi calculado em cerca de 2 trilhões de dólares (5,3 bilhões de reais na época), equivalente a 2,8% do PIB mundial.

A Public Health England alertou para os custos significativos associados à obesidade nas empresas. Estima-se que uma empresa que emprega 1.000 pessoas poderia estar perdendo mais de £ 126.000 por ano devido a problemas de saúde relacionados à obesidade, como problemas de coluna e apneia do sono.

A obesidade nas empresas tem, portanto, implicações de alto custo que não se limitam aos recursos de saúde. Há o prejuízo causado pelas ausências de longo prazo, visto que uma pessoa obesa se ausenta em média 4 dias por ano devido a problemas de saúde. Além disso, há a queda na produtividade e o impacto gerado sobre o resto da força de trabalho.

Portanto, sabendo que os colaboradores passam uma grande parte de seu tempo no trabalho, as corporações devem fazer a sua parte para combater a obesidade nas empresas.

Trabalhar em escritório pode aumentar o peso

As razões para o aumento das taxas de obesidade são muitas, mas uma questão que tem estado em debate ultimamente são os trabalhos de escritório, nos quais a equipe permanece sentada por longos períodos de tempo. Esse estilo de vida sedentário traz um grande risco de saúde.

De acordo com um estudo do Reino Unido, depois por cinco horas que um trabalhador ficou sentado, a circunferência da cintura aumentou em 2 cm. Por dia, a cada hora adicional que a pessoa passou sentada, o risco de doenças cardíacas aumentou 0,2%. 

A circunferência da cintura é um indicador comum da obesidade, juntamente com a medida do índice de massa corporal de uma pessoa (IMC).

Se a cintura mede acima de 94cm para homens e 80cm para mulheres, eles correm um risco maior de desenvolver problemas de saúde. Circunferências abdominais acima de 102cm para homens e 88cm para mulheres significam que há um risco muito maior de problemas de saúde.

Além de empregos sedentários, a redução de atividades como ciclismo e caminhadas e a queda nas atividades de recreação ativa, também são fatores contribuintes para o aumento da obesidade.

Todas essas questões podem afetar a produtividade e a moral de toda a força de trabalho. O fato é que as empresas que não reconhecem como a obesidade podem afetar seriamente seus resultados podem acabar pagando um preço muito alto por isso.

É preciso, portanto, tomar algumas atitudes práticas para mudar esse cenário.

Combatendo a obesidade nas empresas

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda 150 minutos de atividade física aeróbica de intensidade moderada por semana. Essa rotina de exercícios deve reduzir os riscos de:

  • doença cardíaca isquêmica em aproximadamente 30%;
  • diabetes em 27%;
  • câncer de mama e cólon de 21- 25%.

A entidade também destaca o papel do exercício no tratamento de problemas de saúde mental, reduzindo estresse, ansiedade e depressão. Além disso, acredita-se que a atividade física retarda os efeitos da doença de Alzheimer e outras formas de demência.

Iniciativos para combater a obesidade nas empresas incluem plano de adesão à academias, monitoramento de peso e coaches de bem-estar. No entanto, mudanças reais e duradouras devem ser introduzidas por meio da cultura do local de trabalho.

A saúde e o bem-estar devem ser incorporados às empresas – incluindo medidas como o fornecimento de opções de alimentos saudáveis ​​e a promoção de maneiras de se mover e se alongar durante o dia de trabalho, por exemplo, através da colocação estratégica de impressoras e lixeiras longe das mesas.

Uma boa comunicação também é importante. A comunicação regular da empresa deve abordar o estigma em torno da obesidade, bem como educar a equipe sobre saúde e boa forma, apoiando-os e encorajando-os a se exercitarem.

Passos simples para reduzir a obesidade nas empresas

Aqui estão algumas boas práticas que você pode adotar para ajudar a reduzir a obesidade em sua empresa:

  1. Incentive os colaboradores a caminhar

Motive sua equipe a utilizar o horário de almoço para se alimentar e usar parte desse tempo fora da empresa para uma caminhada – assim eles se exercitam ao invés de permanecer na mesa de trabalho.

  1. Invista em benefícios de exercício físico

Introduza no seu programa de qualidade de vida benefícios de exercício físico com custo reduzido.  Depois, apoie as aulas de exercícios ao longo do dia através de iniciativas como os acordos de trabalho flexível.

  1. Fale sobre saúde e bem-estar

Isso inclui garantir que os funcionários estejam cientes de quaisquer benefícios relacionados à saúde que você oferece e educá-los sobre como se manter em forma. Forneça informações e indique recursos que eles possam utilizar para ter uma vida saudável.

  1. Estimule sua equipe a ser saudável

Você pode fazer isso de várias maneiras, seja liderando pelo exemplo ou apoiando a participação em maratonas e caminhadas. Isso vai melhorar não só a aptidão física de sua equipe, mas também promover o trabalho em equipe.

  1. Promova desafios de perda de peso

Esses desafios são uma boa maneira de gerenciar o peso dos funcionários. As pesagens semanais, com metas a serem cumpridas e premiações para os colaboradores que as alcançam, podem realmente ajudar a motivar sua equipe.

Não pague o preço pela obesidade

Como vimos, há muitos caminhos para enfrentar a obesidade nas empresas. Os benefícios de fazer isso incluem a redução dos custos com saúde na sua empresa, bem como a diminuição da ausência por doenças relacionadas à problemas causados pelo sobrepeso, tais como:

  • problemas musculoesqueléticos;
  • doenças crônicas;
  • como diabetes;
  • doenças cardíacas;
  • vários tipos de câncer;
  • problemas psicológicos, como depressão e ansiedade.

Assim, ao adotar práticas de incentivo à saúde como as que citamos aqui, você estará investindo não apenas na qualidade de vida dos seus colaboradores, como também no futuro da sua empresa.

Deseja conhecer um benefício corporativo que pode te ajudar a diminuir os índices de obesidade na sua empresa? Confira aqui:

combater_o_sedentarismo_e_as_doencas_cronicas

(Visited 165 times, 1 visits today)

Comments

comments

This post is also available in: América Latina (MX, CL, AR) España France Italia United Kingdom United States