Uma análise sobre gestão de pessoas, desempenho e motivação dos funcionários

A cena é comum em qualquer empresa: um determinado colaborador, já há alguns meses, não anda produzindo como antes. Sempre entrega atestados médicos, encontra desculpas familiares, justifica atrasos com o trânsito e já virou tema recorrente nas conversas de corredor por quase nunca estar presente nos compromissos importantes do time. A desmotivação é apenas uma das causas de um dos indicadores mais importantes a serem considerados em uma empresa, o absenteísmo. Uma análise aprofundada desse índice pode falar sobre a qualidade de vida da sua equipe e evidenciar problemas que, via de regra, podem ser corrigidos de forma simples por uma gestão de pessoas mais próxima dos funcionários.

É claro que o absenteísmo também pode estar relacionado a outras questões legais, como doação de sangue, licença maternidade, fatores sociais ou, de fato, problemas de saúde ou familiares, mas é preciso estar atento. Altos índices de ausência de funcionários podem demonstrar insatisfações com as políticas da empresa, com as condições de trabalho ou estarem diretamente ligados a problemas de ordem social, financeira ou emocional, como gestores ineficientes, horas trabalhadas em excesso e muitos outros conflitos que ocorrem comumente no dia-a-dia das empresas.

Sendo esse índice tão importante para a saúde do ambiente corporativo, o Gympass decidiu investigar se a aplicação de benefícios voltados para o bem-estar, como a atividade física, por exemplo, possui relação direta com esse indicador. E se possui, por que – e como – o incentivo à prática esportiva pode transformar o ambiente de trabalho e a vida pessoal dos colaboradores.

Analisando quatro empresas parceiras, de diferentes tamanhos e setores, notamos uma queda gradativa dos índices de absenteísmo ao comparar os Gympassers”, profissionais que possuem uma vida ativa, praticando exercício regularmente, aos NonGympassers”, aqueles que não possuem uma vida ativa. Quando consideramos uma empresa do ramo de tecnologia, por exemplo, com aproximadamente 2500 funcionários, ao longo de um ano a tendência do colaborador ativo faltar foi até 2 vezes menor, do que a de um colaborador sedentário.

Em conversa com a diretora de RH da Bristol-Myers Squibb, Anna Carolina Frasão, responsável pelo programa Viver Bem BMS, ela afirmou que em menos de um ano, o benefício da atividade física aliado a outras ações como alimentação saudável e acompanhamento psicológico trouxe resultados surpreendentes. Em função disso, a própria companhia está desenvolvendo uma pesquisa interna para aprofundar seu entendimento sobre os benefícios relacionados ao programa de qualidade de vida adotado.

Bem-estar, diminuição dos problemas de saúde, como colesterol e diabetes, redução significativa de peso, sensação de pertencimento ao grupo, maior sociabilidade, superação, motivação e alívio do estresse são algumas das condições que se relacionam diretamente à prática da atividade esportiva. Além disso, a taxa de sinistralidade também sofre reduções, confirmando que a atividade física ainda é a forma mais simples, prática e econômica de prevenir doenças, cuidar do corpo e da mente dos funcionários dentro das rotinas corporativas.

Marco Crespo lidera a operação do Gympass para a América Latina. Ele acredita que a empresa é uma das poucas que já nasceram com um propósito: mudar a vida das pessoas e dar opções reais para que elas tenham uma vida mais saudável. Formado em Engenharia Elétrica pela UNICAMP e com MBA pela Harvard Business School, Marco possui mais de 10 anos de experiência como executivo, com passagens em empresas como BCG, P&G e Instituto Ayrton Senna.


reduzir_custos_comsaude_sinistralidade_absenteismo

Comments

comments

This post is also available in: es-mx