Você sabia que o Brasil é o segundo país que mais perde dinheiro com a depressão no ambiente profissional? Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que em 2020 essa será a principal causa de absenteísmo no trabalho. Todos esses dados mostram como a saúde mental dos colaboradores é um fator cada vez mais relevante para as organizações. Pensando nisso, o Gympass realizou um evento em São Paulo com lideranças de empresas, da área de medicina do trabalho e de Recursos Humanos para promover a troca de experiências e a discussão do tema.

O painel contou com a participação de Leonardo Framil, presidente da Accenture no Brasil e na América Latina, e Dra. Camila Alfredo, especialista em medicina do trabalho pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Leandro Caldeira, CEO do Gympass no Brasil, também estava presente e foi o mediador do bate-papo.

“Os números são assustadores e vêm crescendo a cada ano”, comentou Dra. Camila. Durante o encontro, os convidados ressaltaram como a saúde mental dos funcionários é responsabilidade de todos os líderes, não só do RH. Leonardo compartilhou algumas ações da Accenture focadas nessa frente. De acordo com ele, a empresa possui o objetivo de ser “mais humanizada”, com iniciativas focadas em 4 pilares: alma, mente, coração e corpo.

O pilar “alma” diz respeito ao propósito que as pessoas identificam na empresa. Já “mente” é referente à saúde psicológica, enquanto “corpo” equivale à saúde física e “coração” ao ambiente organizacional. “Vamos atrás dos resultados, mas entendemos que esses componentes também são importantes”, completou Leonardo.

Na discussão, representantes de diversas empresas compartilharam as iniciativas que estão adotando e os obstáculos que têm encontrado nesse processo. Inclusive, os convidados comentaram como esse assunto ainda é novo para muitas organizações e que por isso existem algumas barreiras que dificultam o avanço do tema. Entre elas, estão a dificuldade de entender o transtorno mental como uma doença efetiva, de sensibilizar a liderança e de fazer o diagnóstico correto em casos de depressão e síndrome de burnout, por exemplo.

Dra. Camila falou um pouco sobre os sinais que indicam a existência de um problema e como as empresas podem agir prestando apoio a esses colaboradores no tratamento. Segundo ela, é importante que as companhias criem “caminhos de escuta”, para acolher os funcionários e ouvi-los. Entretanto, também é válido investir em ações de prevenção que empoderem as pessoas a olhar para o autocuidado. Inclusive, pesquisas já mostraram como a atividade física é relevante nesse aspecto.

Mesmo que ainda seja um tabu para muitas pessoas, a saúde mental da equipe se revelou uma vantagem competitiva para as empresas. Um estudo do Google citado no evento apontou que a segurança psicológica é um dos principais fatores que levam a times de alta performance.

Gostou desse artigo sobre a importância da saúde mental dos colaboradores? Então confira também o webinar que fizemos sobre o tema!

qualidade de vida no trabalho

(Visited 496 times, 1 visits today)

Comments

comments